A Maior Rapadura do Mundo.

Rapadura gigante valoriza tradição dos engenhos no litoral leste cearense

rapadura é um produto extremamente nordestino. Para alguns sertanejos, a sobremesa preferida depois do almoço. Surgida nas Ilhas Canárias, em um arquipélago espanhol, no século XVI, a rapadura logo veio para as Américas, chegando ao Brasil em 1532, servia de alimento para os escravos por possuir muitos nutrientes. Logo depois, se deu início à produção da rapadura nos primeiros engenhos de cana-de-açúcar, aqui mesmo no Brasil.

Ela foi criada a partir da raspagem das camadas de açúcar que ficavam presas às paredes dos tachos utilizados para a fabricação de açúcar, que era então aquecida e colocada em formas semelhantes às de tijolos. De lá para cá muita coisa mudou, mas a rapadura permanece a mesma, ou melhor, à que estamos nos propondo a apresentar cresceu muito, tanto ao ponto de receber o título de maior rapadura do mundo.

Produzida em um engenho em Pindoretama–Ce, a maior rapadura do mundo atrai turistas de todos os cantos de mundo. Em 2005 o Sr. José Gonzaga Barbosa, agricultor e prefeito da cidade, resolveu lutar pela patente desse produto pra lá de nordestino, já que os alemães por outro lado adotavam a rapadura como sendo da Alemanha. Daí como forma de protesto José Gonzaga resolveu criar o Festival da Cana de Açúcar — a Pindorecana -, evento este que entrou até no calendário cultural e turístico do estado do Ceará apresentando a maior rapadura do mundo. Através desta atitude os engenhos só aumentaram na região e a rapadura voltou a ser valorizada até pelos próprios nordestinos. Em 2008, ele conseguiu inscrever a rapadura no Guinner’s, o livro dos recordes mundiais, com uma rapadura de 3.225 quilos e três metros de comprimento e dois de largura, levando quatro dias para ser feito.

Segundo a Prefeitura de Pindoretama, o município hoje possui cerca de 80 engenhos, que produzem em torno de 1,5 mil toneladas de cana-de-açúcar. Além da rapadura outros produtos são derivados da cana nos engenhos como: mel, alfenim, doces e elementos típicos da gastronomia cearense. Os engenhos hoje são considerados cartão-postal de Pindoretama. Nos últimos anos, as edificações se tornaram pontos turísticos do município, sendo visitados por pessoas que viajam pelo litoral leste do Ceará.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*